24 abril 2015

Meditação e uma Página Virada pelo vento

As minhas primeiras experiências com Meditação aconteceram há 25 anos, fruto de leituras relacionadas com o Budismo Tibetano. Voltei a aproximar-me da Meditação há cerca de 5 anos e integrei-a na minha rotina diária. Um tempo de recolhimento, evasão e bem-estar que não dispenso.

Mais recentemente, familiares, amigos e conhecidos mostraram curiosidade e interesse por este meu hábito. Depois de alguns encontros para meditação guiada por mim, individualmente e em grupo, o passa-a-palavra fez com que surgissem naturalmente workshops e sessões de prática de meditação, orientados por mim.

Cada um de nós é um livro com muitas páginas. A maioria delas permanece privada. A Meditação era, até este momento, uma página privada do livro que sou. O desenrolar dos acontecimentos justifica que a torne publica neste momento.

A Meditação tem sido utilizada pelas mais ancestrais tradições filosóficas e religiosas, como um meio para alcançar o Nirvana, a Iluminação, o Sétimo Céu, a Abertura de Consciência, a Paz de Espírito. Progressivamente ocidentalizada, distanciou-se da sua génese religiosa e ritualista. Hoje é, sobretudo, entendida como um método de desenvolvimento pessoal, traduzido nos mais variados estilos: meditação transcendental, meditação aplicada a estados específicos como a ansiedade, depressão ou reeducação alimentar, walking meditation (meditação a caminhar), entre outros.

Independentemente da opinião de cada um sobre esta evolução e o risco de vulgarização deste método, a Meditação chega hoje a mais pessoas, e isso é inestimável.

A Meditação está para a mente, como um duche matinal está para o corpo. O estado meditativo permite fazer um verdadeiro "reset" da mente: descomprime-a e revitaliza-a. E isso tem um impacto real e significativo na saúde e no bem estar geral (físico, emocional e intelectual).

A prática regular de Meditação tem benefícios múltiplos, dos quais destaco:
  • Promoção da atenção, concentração e memória
  • Estabilidade do humor positivo
  • Aumento da auto-estima
  •  Relações mais plenas e satisfatórias
  •  Diminuição do stress e da ansiedade
  • Controlo da pressão arterial
  • Reforço do sistema imunitário
  •  Redução de processos inflamatórios
Deixo-lhe abaixo um exercício básico  para que possa experimentar e ter uma ideia de como se faz. Fique atento ao Facebook do Virar a Página. Em breve haverá mais um curso de Iniciação à Meditação e o mês de Maio promete surpresas.

  1. Coloque-se numa posição confortável. É preferível que se posicione sentado no chão, no entanto não deve ser excluída a possibilidade de se sentar numa cadeira, ou até mesmo de se deitar. Procure ter a coluna vertebral alinhada e, se possível, os pés no chão.
  2. Dirija a sua atenção para o ciclo respiratório: inspiração e expiração. Procure inspirar e expirar unicamente pelo nariz. Inspire e sinta o fluxo de ar entrar pelas narinas e varrer as vias respiratórias, os pulmões, o diafragma, e encher o abdómen. Expire, permitindo que o abdómen, diafragma e pulmões se esvaziem completamente. Respeite o padrão e o ritmo respiratório que lhe é natural.
  3. Descontraia, progressivamente, o rosto, os ombros, as regiões dorsal, lombar e abdominal, os braços e as pernas.
  4. Corrija a sua postura, se necessário. Recorra a ciclos respiratórios profundos para aliviar quaisquer tensões corporais.
  5. Relaxe agora a mente. Permita que os pensamentos emerjam. Abstenha-se de os julgar, qualificar, reter ou reprimir. Liberte-os.
  6. Observe a lentificação progressiva dos ritmos respiratório e mental.
  7. Desfrute da sensação de bem-estar, quietude e harmonia.
  8. Volte a sua atenção para o corpo. Mexa lentamente os dedos das mãos e dos pés. Faça um ciclo respiratório profundo. Quando se sentir confortável, abra lentamente os olhos.







Sem comentários:

Enviar um comentário